quinta-feira, 16 de abril de 2015

Nada de revanche em duelo entre Paragominas e Remo

Nada de revanche em duelo entre Paragominas e Remo (Foto: Mário Quadros/Diário do Pará)
Técnico do PFC quebra a cabeça para montar p time. (Foto: Mário Quadros/Diário do Pará)
Após a rodada do último domingo, que definiu os classificados para a semifinal do Campeonato Paraense de Futebol, o Paragominas, mesmo perdendo para o Clube do Remo por 1 a 0, vai ter a oportunidade de brigar pela vaga na final, mas, para isso, vai precisar vencer o Leão de Antônio Baena desta vez. 
O técnico Charles Guerreiro e os jogadores se reapresentaram ontem pela manhã e o técnico já sabe que vai ter um pouco de trabalho para definir os titulares para o jogo do próximo dia 21 de abril.
Além do zagueiro Charles, que foi julgado pelo TJD e punido com um jogo de suspensão, os volantes George e Romário também não jogarão. Além desses três, o lateral esquerdo Cristiano Gaúcho, que sentiu o joelho no último jogo, está entregue ao departamento médico do clube, sem condições de jogo. 
“Se o Cristiano não entrar, quem deve substituir ele é o lateral Vitor Souza”, afirmou o diretor de futebol do Paragominas Eduardo Lima, frisando ainda que a substituição será à altura. “O Vitor é um jogador muito novo, e pode até não ter a experiência que o Cristiano tem, mas o clube confia e sabe que ele responde da mesma forma, porque tem muita qualidade”.
A semifinal poderia ser uma revanche, mas o Jacaré prefere não encarar assim. Eduardo garante que, mesmo sabendo do quanto o jogo pode ser difícil, principalmente porque o Remo terá todo o apoio da torcida dentro do Mangueirão, o Paragominas vai brigar porque sabe da importância do jogo. “Toda decisão é diferente, e nós temos jogadores experientes em decisões, e já estamos encarando com toda a seriedade que a partida exige”, pontuou o diretor.
(Diário do Pará)

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Polícias Civil e Militar detêm cerca de 80 pessoas em festa de aparelhagem na Terra-Firme


As Polícias Civil e Militar detiveram em torno de 80 suspeitos para averiguação, na madrugada deste domingo, 12, durante a operação denominada "Tango Fox", em uma festa de aparelhagem, no bairro da Terra-Firme, em Belém. O objetivo foi combater crimes praticados no interior de uma arena de shows, situada na rua São Domingos, apontado como ponto de venda e consumo de drogas e de articulação para práticas criminosas na área. Do total de detidos, dez eram presidiários, alguns usavam tornozeleiras, e havia ainda três adolescentes em situação de risco no estabelecimento. Um foragido da Justiça foi preso no local. Os policiais apreenderam mais de meio quilo de drogas. Um carro roubado foi recuperado.
Suspeitos passam por triagem; Drogas apreendidas e foragido preso
Sob coordenação da Diretoria de Polícia Metropolitana (DPM), da Polícia Civil, a operação contou com mais de 70 agentes, entre policiais civis da Unidade Integrada Pro Paz (UIPP) da Terra-Firme, Superintendência da Região Metropolitana, Grupo de Pronto-Emprego (GPE), da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos e da Divisão de Homicídios; policiais militares da Rotam, Comando de Operações Especiais (COE) e Canil; agentes da Secretaria Adjunta de Gestão Operacional da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (SEGUP); do Corpo de Bombeiros Militar; peritos criminais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e agentes da Superintendência do Sistema Penitenciário.

A ação policial teve início por volta de 2h30 da manhã, logo após os profissionais deixarem a sede da Delegacia-Geral, em Belém, onde foi realizada a reunião que antecede à operação. O encontro foi presidido pelos delegados Cláudio Galeno, titular da DPM, e Samuelson Igaki, titular da UIPP da Terra-Firme.
De acordo com Igaki, a meta da operação foi fazer uma revista geral dentro da arena "Bom Bar", na Terra-Firme, local onde, segundo denúncias, serve de reunião para criminosos e para práticas de crimes, como tráfico e consumo de drogas, além da permanência de adolescentes até durante a madrugada consumindo bebidas alcoólicas e até produtos entorpecentes. Diante das informações levantadas pela equipe de policiais civis da UIPP da Terra-Firme, a operação foi planejada para cerca a área e fazer uma abordagem no local. Daí a presença de diversos órgãos do Estado. Já na área, as equipes policiais se dividiram. 
Os policiais militares fecharam a via principal de acesso à arena e as transversais para impedir a fuga de pessoas. Dezenas de pessoas foram revistadas às proximidades do local, enquanto os policiais civis e militares entravam no estabelecimento, durante festa de aparelhagem, para revistar todos os frequentadores, aproximadamente, 500 pessoas. Para fazer o procedimento, os homens foram separados das mulheres e um por um foram revistados pelos policiais, para verificar a existência de objetos ilegais, como armas e drogas, além de detectar identificar criminosos.
Durante as revistas, foi preso o foragido de Justiça Tiago Oliveira Santos, 27 anos, que responde por roubo e está foragido há um ano. Dez presidiários foram encontrados no local, alguns estavam em prisão domiciliar e liberdade condicional. Alguns portavam tornozeleiras eletrônicas para monitoramento de presos e não poderiam estar naquele local. Os policiais fizeram uma busca minuciosa até encontrar diversos papelotes de cocaína espalhados pelo local e até enterrados no piso de areia do estabelecimento. Três adolescentes foram encontrados na festa. O responsável pelo local foi conduzido até a UIPP da Terra-Firme para responder por permitir adolescentes na arena. Ao final dos procedimentos, os presidiários e o foragido foram conduzidos para o Sistema Penitenciário do Pará. Os demais foram liberados após triagem feita na UIPP da Terra-Firme.​

Polícias Civil e Militar desmontam esquema de tráfico de drogas em Irituia

 As Polícias Civil e Militar prenderam em flagrante, nesta segunda-feira, 13, Antonio Oliveira Galvão, de apelido "Toninho", por tráfico de drogas, em Irituia, nordeste paraense. Com ele, foram apreendidas 40 petecas de pasta de cocaína. A operação policial foi coordenada pela Superintendência da Região Integrada de Segurança Pública do Guamá.
Segundo o delegado Luís Xavier, titular da Superintendência, o preso já responde a outros processos criminais por homicídio, roubo e tráfico de drogas. Ele também estava na condição de foragido de Justiça desde o ano passado. Agora, ele permanecerá recolhido à disposição da Justiça.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

As inscrições para o 4º concurso de redação da mineração foram prorrogadas até 30 de abril

Certame premiará as melhores redações com um tablet, notebook, ultrabook, smartphone e máquina fotográfica digital. 

As inscrições para a quarta edição do Concurso de Redação da Mineração foram prorrogadas até o dia 31 de abril. Voltado para os estudantes da rede pública de ensino do Estado, o certame traz como tema “Mineração com responsabilidade social: a vida é nossa maior riqueza”. O concurso é promovido pelo Sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará (Simineral) e Secretaria de Estado de Educação (Seduc). O edital e a ficha de inscrição do concurso estão disponíveis no site www.seduc.pa.gov.br.
O concurso premiará as melhores redações com um ultrabook, notebook, tablet, celular smartphone e máquina fotográfica digital. Podem participar do certame alunos do 6º ao 9º anos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio Regular, regularmente matriculados na rede pública estadual no ano letivo de 2015. Também serão premiados os professores-orientadores dos estudantes e as escolas que conquistarem o primeiro lugar, que receberão um tablet e um projetor multimídia (datashow), respectivamente.
O presidente do Simineral, José Fernando Gomes Júnior, comemora o sucesso do concurso em todas as suas edições. O número total de inscrições nas três edições (2012, 2013 e 2014) foi mais de 10 mil estudantes de todo o Estado, mostrando o crescimento do concurso.  “O concurso está cumprindo um dos objetivos do sindicato, que é o incentivo à educação, além de divulgar o conhecimento sobre mineração. O que mais nos surpreende é que a cada ano que passa, os alunos estão vendo a mineração no seu dia a dia, e isso, é o que realmente importa”, ressaltou.

Fases do certame

Até o dia 08 de maio, as escolas inscritas deverão realizar a seleção das melhores redações, sendo que as escolas que ofertam Ensino Fundamental e Ensino Médio deverão selecionar duas redações, sendo uma de cada nível de ensino. Já as escolas que ofertam somente Ensino Fundamental ou Ensino Médio selecionarão somente uma redação do nível de ensino ofertante.
Depois dessa primeira seleção, as escolas inscritas enviarão as redações vencedoras à Comissão Organizadora, que as encaminhará à Comissão Julgadora do Concurso de Redação, que escolherá as 10 redações vencedoras, respectivamente cinco do Ensino Fundamental e cinco do Ensino Médio, cada uma em ordem decrescente até o quinto lugar. O prazo para seleção final será no período de 18 a 22 de maio.
A lista dos vencedores será divulgada no dia 25 de maio no site da Seduc. A entrega dos prêmios será realizada no dia 03 de junho, na Estação Gasômetro, às 9h.

MPF processa INSS para garantir direito de povos tradicionais a benefícios previdenciários

Agência da Previdência em Itaituba exige documentação à qual famílias não têm acesso, diz ação

O Ministério Público Federal (MPF) entrou na Justiça contra o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para cobrar que sejam atendidos os direitos previdenciários das famílias do Projeto de Assentamento Agroextrativista (PAE) Montanha-Mangabal, em Itaituba, sudoeste do Pará.

Segundo a ação, para analisar pedidos de benefícios o INSS está exigindo dos extrativistas a apresentação de documentos que não são compatíveis com a realidade do PAE. Exemplos de documentos aos quais os extrativistas não têm acesso são a declaração de sindicato rural e a declaração de agentes de saúde.

Ajuizada no último dia 9, a ação também pede à Justiça que obrigue o INSS a rever todos os pedidos de benefícios negados nos últimos dez anos aos extrativistas de Montanha-Mangabal. O MPF também quer que a Justiça condene o INSS ao pagamento de dano moral coletivo aos extrativistas no valor de R$ 500 mil.

Direito à diferença – O MPF defende que o atendimento aos extrativistas deve ser feito de acordo com requisitos compatíveis com a realidade das famílias. Por exemplo: como no PAE não há sindicato rural, não cabe ao INSS exigir, para a comprovação do exercício da atividade rural, a apresentação de declaração emitida por sindicato rural. Nesse caso, o INSS deve aceitar declaração emitida pela associação de moradores do PAE.

“O entendimento do INSS se mostra incompatível com a Constituição da República e com convenções internacionais firmadas pelo Brasil, além de contrário à legislação infraconstitucional correspondente, pois está dissociado da visão multicultural prevista na lei fundamental, por meio da qual o direito à igualdade não pode ser visto apenas como fonte formal ou material de equiparação de indivíduos, mas também como diretriz para o reconhecimento da diferença”, diz a ação.

O MPF em Itaituba alerta na ação que o INSS não pode considerar como legítimos apenas os pedidos de benefícios feitos a partir de 2006. Naquele ano, o MPF conseguiu que a Justiça impedisse a entrada em Montanha-Mangabal de pessoas não pertencentes à comunidade. Segundo o MPF, a decisão judicial apenas reafirma – e não cria – uma condição que as famílias já tinham: a de pertencerem a uma comunidade tradicional.



Processo nº 0000625-57.2015.4.01.3908 – Justiça Federal em Itaituba

Íntegra da ação:
http://www.prpa.mpf.mp.br/news/2015/arquivos/Acao_MPF_X_INSS_Montanha_Mangabal.pdf

Acompanhamento processual:
https://processual.trf1.jus.br/consultaProcessual/processo.php?proc=00006255720154013908&secao=IAB

Polícia Civil apreende 62 galos que eram usados em rinhas no município de Marituba


Galo bastante lesionado
A Polícia Civil apreendeu, na tarde deste sábado, 12, no município de Marituba, região metropolitana de Belém, 62 galos que eram usados em combates com apostas em dinheiro, mais conhecidos como rinha de briga. A apreensão é resultado de investigação realizada pela equipe de policiais civis da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA), sob coordenação do delegado Marcos Lemos. 

Segundo o policial civil, o proprietário do imóvel onde os animais foram encontrados foi autuado por crime de maus tratos com mutilação de animais domésticos, de acordo com a Lei de Crimes Ambientais. O acusado é servidor público do município. Os bípedes estavam bastante lesionados no corpo, principalmente, no pescoço e nas pernas. Eles apresentavam os esporões serrados para a colocação de esporões de aço para intensificar os golpes dados durante a rinha. 



As penas haviam sido arrancadas nos locais onde havia ferimentos provocados pelas brigas. Com base nas investigações, detalha o policial civil, foi possível chegar ao endereço onde os galos eram guardados em gaiolas. O responsável poderá pegar uma pena, prevista em lei, de detenção de três meses a um ano, e multa. Os galos permanecem apreendidos à disposição da Justiça, assim como as gaiolas.

Siga o ParagoNews

Minha lista de blogs